**especial bigode**

Amo. Amo ué, acho ousado, acho irônico e sou louca por estilos que acrescentam humor à vida. Fora que, gente, existe alguma coisa mais sexy que um belo bigode?? heeheh. Tô mentindo??

> Não, não estou.

.

Então – enfim – chegou a hora dele, nosso primeiro post essencialmente masculino, o nosso esperado e aclamado: ESPECIAL BIGODE!!!

> Cut corta essa?

.

Pra comecar:

** ESCOLHENDO O SHAPE**

Escolher o formato do bigode é o primeiro dilema. Aqui em baixo tem uma lista de opcões válidas:

Mas a verdade é que cada bigode é de um jeito, e vc tem que ver qual rola em vc. Uma ótima idéia é recorrer à um profissional de responsa, tipo aqueles barbeiros das antigas de Jucutuquara 🙂

Se for fazer em casa, a palavra de ordem é: paciência. Vai ficar feio de primeira, mas o tempo vai passando, o bigode vai crescendo e enchendo e a partir daí que realmente vai rolar de trabalhar o shape.

Pros proximos posts desse especial a dica vai ser importantissima também: higiene!!

.

**QUEM TEM, EXIBE!**

E, como primeiríssimas participacões nessa série, já que estavamos falando deles, os lindos bigodões do Café Bamboo.

Imagem 019Imagem 026Imagem 023Imagem 022Imagem 021

Eu chego um dia lá e estão todos assim, de bigode!! Achei o máximo e a explicacão é melhor ainda: eles estão preparando uma promocão especial pra quem tem bigode!! Mais detalhes eu conto depois!! 😉

.

.

Bom, eu tenho foto de vários bigodudos da cidade, mas quem tiver foto de bigode, ou uma imagem legal, uma camiseta, uma referência qualquer sobre o tema, manda pro nosso especial!! 🙂

Bjo no mustache!

Anúncios

Tecnologias

Tenho me tornado uma pessoa mais tecnologica desde o Blogcamp, e agora de computador novo babe!!!!! hehehe. Mas o maxi fino eu conto pra vocês que aconteceu sexta-feira agora, no meu café favorito: o Café Bamboo.

O que rolou lá foi um evento da Vivo só pra blogueiros e twitteiros pra aprensentar o novo I-PHONE 3G, evento esse que aconteceu ao mesmo tempo em varias capitais. Fino? Puro glamour.

Que demais, achei um luxo a forma que a Vivo encarou a galera que tá movimentando de referências capixabas a internet.

>> Eu de computador comprado 15min antes me sentindo a própria hitechgirl! hehehehe

Quem estava lá além da Vivo: Diana Pádua, André Damasceno, Rafael Ribeiro, Dani Mart, o Rafael da IMASTERS, Dudu (de onde eu roubei as fotos hihihi)… Todo mundo twittou, tirou foto, usou a bússula ehehe e tirou onda com o brinquedinho:


A onda toda do modelo novo é que ele está duas vezes mais rápido e cheio de possibilidades.

Agora imagina CUT de I-phone, meu bem? Na verdade todos os outros estados sortearam um aparelho para os convidados, eu ainda não entendi porque isso não rolou aqui. Mas gente! Ainda dá tempo de mandar aquele pensamento positivo pra gente ganhar!! hehee

Bom, pra quem não precisa esperar a sorte, vale a pena conhecer mais no site da apple, e da vivo.

.

Bom, vou dizer a verdade, eu passo certos sufocos com tecnologias, mas fico sempre apaixonada com as possibilidades. Por exemplo, com a praticidade de um I-phone 3G eu podia ter tirado foto de uma menina que eu vi no Show dos Pedrero ontem com uma sobrancelha muito muito diferente!! Ou de 20 caras de bigodes pro nosso primeiros post exclusivamente masculino… Enfim a vida é muito mais simples com tecnologias.

Ou na verdade a gente que sempre fica meio bobo com tecnologias ultrapassadas, né?

Bjos!


O Sul também em vídeo

Vocês lembram da série Cores do Sul, que a Tati fez na viagem dela com o Revelando Brasis? Pra quem não lembra tem os links aqui, aquiaqui. e aqui.

É que agora também tem um vídeo lindo! Olha só:


Cuti cuti – Lili Cheibub

Quando Hollywood era gay

Vocês sabiam que na época de ouro do cinema americano, os estúdios faziam vista grossa à homossexualidade de alguns astros e usavam os boatos para atrair o público? O exemplo disso era o casal feliz de atores Randolph Scott e Cary Grant. Olha que espetáculo! Como diz um amigo meu: “Mooooorre! UUUUi!” Eles moraram juntos numa mansão numa praia da Califórnia por 12 anos e a residência ficou conhecida como a “mansão dos solteiros“.

12

A primeira vez que a palavra gay foi ouvida no cinema como sinônimo de homossexual aconteceu no filme “Levada da Breca“, há 7 anos. Ela foi dita numa das cenas mais engraçadas dessa comédia do diretor Howard Hawks pelo ator americano Cary Grant (esse homem maravilhoso da fotos de cima – e das debaixo também). E justamente por isso que ela não passou despercebida. Esse se deu ao luxo da autogozação! Muito jogador… Era esse, com certeza, o seu propósito na famosa cena quando seu personagem, obrigado a sair do banheiro vestido no estravagante e phyno “peignoir” de uma garota, vai atender a porta da casa. Ao vê-lo enfiado naquele traje, a velhinha que tocara a campainha, pergunta o que significava aquilo: “é que, subitamente, me transformei em um gay!”, disse Grant.

3

4

Grant (1904-1986) era para a Hollywood dos anos dourados o que Tom Cruise é para a indústria de hoje. Um dos atores preferidos de Alfred Hitchcock, com quem fez clássicos como “Ladrão de Casaca” e “Intriga Internacional”, ele serviu de modelo para Ian Fleminh criar o agente 007. Viram de onde veio tanto charme…

5

Semana que vem tem mais da campanha “I LOVE CUT CLUB” na coluna Rio 40Graus! 😉
Beijos!

Lili


CUT corta essa: Franja!

Gabriela Lorençao é figurinha carimbada desse blog, sempre presente, ajudando, incentivando… Vocês sabem, fomos juntas ao Rio e todo mundo cortou o cabelo hehehee.

Essa era a Gabi antes. Já tava linda, toda pomposa causando de make bicolor pelo Rio de Janeiro.

DSC04859

DSC04900

DSC04901

.

A onda era: ela nunca tinha cortado uma franjinha. Esse tipo de corte é um dos meus preferidos, mas muita gente tem medo. Ela pensou, repensou, calculou, usou os dotes de economista, recalculou e tomou coragem de cortar.

Franja nela!

DSC04983

DSC04985

DSC04990

DSC04986

.

O cabelo da Gabi é desfiado, aí eu cortei uma franja bem reta!

.

Franjinhas sao incríveis, eu amo. E voces? Separei aqui vários modelos pra quem estiver pensando no caso poder escolher a sua. Das menorezinhas as maiores, olha só:

.

E aí, anima?

.

PS. Vocês conhecem esse blog: stuffwhitepeoplelike.com?

Tava fazendo um enorme sucesso quando eu tava nos Estados Unidos. E olha o que fala sobre franjinhas! Demais!

“When you are introduced to a group of white people, it’s a good idea to befriend the girl with the bangs. She’s probably the most popular”

.

bjos!!


Ensaio do dia

Tinha tempo que ninguém me mandava um ensaio, mas olha esse que lindo que o Gus mandou:

babygirl2

babygirl4

Dá pra ver tudo aqui, no site da ilustradora.

Valeu Gus, Bjos!


Vaidade / feminismo

Gente, nunca fiz isso de publicar os comentários, mas acho que vale muito a pena agora, não sei se todo mundo leu.

Perguntei sobre feminismo/vaidade, queria ter perguntado antes, pra mostrar isso lá no BlogCamp, porque amei muito as respostas. E senti que a gente ta no mesmo clima, porque foi mais ou menos o que eu falei lá.

Olha as respostas que incríveis:

. Nunca gostei de levantar bandeiras e nem gosto de opniões extremistas. Mas gosto da idéia do feminismo como algo que iguale e não que vire o problema do lado contrário colocando a mulher num patamar diferente. Por isso, sejamos feministas e muito, muito vaidosas. Porque beleza, é contagioso! / Juh – http://adoroeponto.wordpress.com/

. sou anti-sexista!mas é claro que puxo sardinha para o meu(nosso) lado sempre que posso. acho que a mulher tem tantos direito e deveres quanto o homem, com a diferença de fazer tudo com charme e elegância PS: me incomoda um pouco o fato de algumas feministas acharam que vaidade é futilidade! / Bárbara /

. Ei, Descobri seu blogue pq fui ao BlogcampES na sexta e fui ao linque dum palestrante e deu no seu por engano. Gostei, linquei, tal. Am… Jah escrevi muito sobre isso. Basicamente eh o seguinte: gosta de maquiagem, se maqueie; ñ gosta, ñ o faça!, simples assim. Valeu e bisous / Gabriela Galvão / mgabrielagalvao.blogspot.com

. Vaidade/feminismo, penso que a relação sempre foi vaidade/feminino e não ismo de um movimento, grupo ou qualquer coisa que levante uma bandeira. Fato é que a sensibilidade tem muita ligação com a vaidade e isso é muito natural. As feministas(xiitas)que pregam a vaidade como inaceitável, são pra mim radicais e alienadas. / Fabi /

. Esse papo de feminista extremista que mulher nao pode ter vaidade me soa como” mulher bonita e’sempre burra”. Que isso! Quem disse que eu nao posso ler Goethe maquiada ,e de unha feita? Vaidade na dose certa e’ saudavel demais! As vezes tenho uma certa dificuldade de ser levada a serio por me preocupar com a minha aparencia. Mas o que muita gente nao leva em conta e’ que tambem cuido do meu cerebro. bjao! / Liliana /

. Embora também não levante bandeiras, eu associo bastante o feminismo à liberdade. A ter o direito de levantar a cabeça pra assumir e excercer o que for: seus direitos, desejos e até suas futilidades. Ter que esconder a vaidade iria contra tudo / Luiza da ETC /

. Eu já acho que levantar bandeiras é essencial. E também acho que tá na hora de mudar a cara do feminismo, como muitas guiras por aí tem feito, com ótimos textos em seus blogs. Movimentos tem mais força do que posicionamentos pessoais, ideias que só ficam na cabeça, “eu na minha”, saca? Indico uma menina ótima pra vc ler, se quiser: http://marjorierodrigues.wordpress.com/ beijocas / Maria Paula / paulamaria.wordpress.com

. pois é. eu levanto bandeira sim, sou feminista sim, sou vaidosa sim, e sou também várias outras coisas, não acredito que uma exclua a outra. acho que pra pensar nessa relação é válido pensar no que entendemos por feminismo e no que entendemos por vaidade. o feminismo entendo como o movimento coletivo organizado e como o posicionamento individual cotidiano – expresso de várias, múltiplas maneiras – que busque recriar as relações de forma que o feminino não seja o menor, o desvalorizado, que proteste contra a opressão e a discriminação da mulher. ser feminista não significa literalmente queimar sutiã. do mesmo jeito que ser vaidoso não significa necessariamente seguir padrões de beleza. passar máquina zero no cabelo, cortá-lo moderníssimo, ou simplesmente arrumá-lo (ou desarrumá-lo) antes de sair de casa, pintar o olho a boca ou a unha, ter uma ou trezentas tatuagens, usar essa roupa e não aquela, tudo isso é querer se sentir bem esteticamente, sentir que o que você é e o que você pensa tá próximo de como está aparecendo essa figura que infalivelmente te representa. temos um corpo que exige manutenção, precisamos mantê-lo de alguma forma, então que essa forma seja próxima de como nos entendemos. penso que a vaidade passa por aí, não sou menos vaidosa por não fazer a unha. e não sou mais feminista por não fazer a unha. do mesmo jeito que não se é menos feminista por se parar para pensar na estética. (e, se em algum momento ser feminista significar literalmente queimar sutiã, temos aí uma preocupação estética: não usar sutiã como vaidade feminista, yes.) como disse no início, uma coisa não exclui a outra, não se é só feminista ou só vaidosa, dá pra ser feminista, e conversar com as amáigas sobre o feminismo, e sobre o cabelo, sobre a roupa, sobre música, sobre cinema, sobre o sentido da vida, sobre o tempo, whateva, bora fazer o que gosta e acredita do jeito que gosta e acredita. e pensar sim, muito, sobre esse tipo de pergunta. que venham mais cortes de cabelo, e mais dicas luxo de makes, e mais perguntinhas excelentes que isso aqui tá cada vez mais BAPHO. beijo. /  Pétala  / twitter.com/padaria