Vaidade / feminismo

Gente, nunca fiz isso de publicar os comentários, mas acho que vale muito a pena agora, não sei se todo mundo leu.

Perguntei sobre feminismo/vaidade, queria ter perguntado antes, pra mostrar isso lá no BlogCamp, porque amei muito as respostas. E senti que a gente ta no mesmo clima, porque foi mais ou menos o que eu falei lá.

Olha as respostas que incríveis:

. Nunca gostei de levantar bandeiras e nem gosto de opniões extremistas. Mas gosto da idéia do feminismo como algo que iguale e não que vire o problema do lado contrário colocando a mulher num patamar diferente. Por isso, sejamos feministas e muito, muito vaidosas. Porque beleza, é contagioso! / Juh – http://adoroeponto.wordpress.com/

. sou anti-sexista!mas é claro que puxo sardinha para o meu(nosso) lado sempre que posso. acho que a mulher tem tantos direito e deveres quanto o homem, com a diferença de fazer tudo com charme e elegância PS: me incomoda um pouco o fato de algumas feministas acharam que vaidade é futilidade! / Bárbara /

. Ei, Descobri seu blogue pq fui ao BlogcampES na sexta e fui ao linque dum palestrante e deu no seu por engano. Gostei, linquei, tal. Am… Jah escrevi muito sobre isso. Basicamente eh o seguinte: gosta de maquiagem, se maqueie; ñ gosta, ñ o faça!, simples assim. Valeu e bisous / Gabriela Galvão / mgabrielagalvao.blogspot.com

. Vaidade/feminismo, penso que a relação sempre foi vaidade/feminino e não ismo de um movimento, grupo ou qualquer coisa que levante uma bandeira. Fato é que a sensibilidade tem muita ligação com a vaidade e isso é muito natural. As feministas(xiitas)que pregam a vaidade como inaceitável, são pra mim radicais e alienadas. / Fabi /

. Esse papo de feminista extremista que mulher nao pode ter vaidade me soa como” mulher bonita e’sempre burra”. Que isso! Quem disse que eu nao posso ler Goethe maquiada ,e de unha feita? Vaidade na dose certa e’ saudavel demais! As vezes tenho uma certa dificuldade de ser levada a serio por me preocupar com a minha aparencia. Mas o que muita gente nao leva em conta e’ que tambem cuido do meu cerebro. bjao! / Liliana /

. Embora também não levante bandeiras, eu associo bastante o feminismo à liberdade. A ter o direito de levantar a cabeça pra assumir e excercer o que for: seus direitos, desejos e até suas futilidades. Ter que esconder a vaidade iria contra tudo / Luiza da ETC /

. Eu já acho que levantar bandeiras é essencial. E também acho que tá na hora de mudar a cara do feminismo, como muitas guiras por aí tem feito, com ótimos textos em seus blogs. Movimentos tem mais força do que posicionamentos pessoais, ideias que só ficam na cabeça, “eu na minha”, saca? Indico uma menina ótima pra vc ler, se quiser: http://marjorierodrigues.wordpress.com/ beijocas / Maria Paula / paulamaria.wordpress.com

. pois é. eu levanto bandeira sim, sou feminista sim, sou vaidosa sim, e sou também várias outras coisas, não acredito que uma exclua a outra. acho que pra pensar nessa relação é válido pensar no que entendemos por feminismo e no que entendemos por vaidade. o feminismo entendo como o movimento coletivo organizado e como o posicionamento individual cotidiano – expresso de várias, múltiplas maneiras – que busque recriar as relações de forma que o feminino não seja o menor, o desvalorizado, que proteste contra a opressão e a discriminação da mulher. ser feminista não significa literalmente queimar sutiã. do mesmo jeito que ser vaidoso não significa necessariamente seguir padrões de beleza. passar máquina zero no cabelo, cortá-lo moderníssimo, ou simplesmente arrumá-lo (ou desarrumá-lo) antes de sair de casa, pintar o olho a boca ou a unha, ter uma ou trezentas tatuagens, usar essa roupa e não aquela, tudo isso é querer se sentir bem esteticamente, sentir que o que você é e o que você pensa tá próximo de como está aparecendo essa figura que infalivelmente te representa. temos um corpo que exige manutenção, precisamos mantê-lo de alguma forma, então que essa forma seja próxima de como nos entendemos. penso que a vaidade passa por aí, não sou menos vaidosa por não fazer a unha. e não sou mais feminista por não fazer a unha. do mesmo jeito que não se é menos feminista por se parar para pensar na estética. (e, se em algum momento ser feminista significar literalmente queimar sutiã, temos aí uma preocupação estética: não usar sutiã como vaidade feminista, yes.) como disse no início, uma coisa não exclui a outra, não se é só feminista ou só vaidosa, dá pra ser feminista, e conversar com as amáigas sobre o feminismo, e sobre o cabelo, sobre a roupa, sobre música, sobre cinema, sobre o sentido da vida, sobre o tempo, whateva, bora fazer o que gosta e acredita do jeito que gosta e acredita. e pensar sim, muito, sobre esse tipo de pergunta. que venham mais cortes de cabelo, e mais dicas luxo de makes, e mais perguntinhas excelentes que isso aqui tá cada vez mais BAPHO. beijo. /  Pétala  / twitter.com/padaria

Anúncios

7 Comentários on “Vaidade / feminismo”

  1. Vc fez um post à la Don Oleari, conhece?, hahah

    Mt legal. Pq aqle tipo d post se enriquece mt c os comentários e da valor a isso eh fundamental.

    Vi alguém indicando a Marjorie. Ela escreve mt bem, mas, na minha visão, tem idéias equivocadas. Mas eh soh minha opinião.

    (A última q vi foi ela falando p um seu crítico q ele ñ a enganava, ‘era homem’, puff!)

    Ai, falar mais. Pq critiquei a Marjorie e assim ‘jogado’ fica meio dor d cotovelo, meio sem sentido, fofoquinha vazia.

    Eh q o caso ali eh bem ilustrativa.: pq uma crítica -bem fundamentada ou ñ- tem q vir de um homem? Nada-a-ver!

    Agora vou ali dar um up no visu q meu Gatão vem me pegar!!!, hahah

    Mais bisous

  2. Bárbara disse:

    ai, amei isso, gata!

    aodorei ter contribuído 🙂

  3. six disse:

    feminismo e vaidade se completam.

  4. tamarafreire disse:

    Então, eu meio que levantei a bola la no BlogCampES e nem vim aqui comentar. Shame on me!

    Só queria reafirmar o que eu disse no encontro. O grande problema da vaidade e dos cuidados com o corpo é quando faz-se isso tão automaticamente que acaba-se esquecendo o porquê. Acho que todo mundo precisa se questionar o porquê das coisas, independente se isso vai mudar ou não nossa postura.

    O cuidado com a aparência entre as mulheres não é maior do que entre os homens por uma questão natural. Há uma construção histórica aí. Somos condicionadas a andarmos impecáveis para nosso homens. Assim como é a mulher que tem que cuidar da casa e das crianças mimimi. Para garantir um bom homem. Quantas vezes já não ouvimos que se andarmos mal-arrumadas ou se não tivermos talentos domésticos vamos ficar encalhadas, nenhum homem vai nos querer e coisa e tal…

    Mas e aí que blogs como o seu podem dar o pulo do gato: a questão (para mim) não é tentar desfazer as amarras a todo custo, mas sim subverter isso por dentro. Que produzir-se deve ser feito como uma coisa para benefício próprio. Me maqueio porque gosto, porque me divirto, tal e tal. E principalmente: que nenhuma mulher é menos mulher porque não gosta. É uma escolha, como qualquer outra. Não deve ser obrigação.

    Sem contar que o Cutclub tem outra postura coringa, que é a inclusão da diferença. O rompimento de padrões na medida do possível…

    Beijo

    Tâmara

  5. ANDREA disse:

    Acho que as pessoas devem ter um pouco de vaidade mas não em exagero,tudo no limite,e ser como elas realmente sãose gostam de andar de chinelo de dedos,que andem que sejam elas mesmos,porque o legal é ser a gente mesmo.

  6. […] (lembra que depois do blog camp a gente ficou discutindo feminismo? pois a manu postou isso ontem e eu achei que o assunto pode continuar bem […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s